Logo Afrique21.tv
Inscrição newsletter Afrique21.tv




 
Favoris et Partage

Quando se fala da África do Sul pensa-se nas célebres urbes da Cidade do Cabo e Joanesburgo. Além disso, pensa-se em Nelson Mandela. Eleito em 1994, foi o pri-meiro presidente negro da África do Sul, atualmente conhecido em todo o mundo por ter lutado contra o apartheid. Desde então, os brancos e os negros caminham para a igualdade, embora esta jovem democracia tenha ainda de realizar progressos para reduzir as desigualdades no dia-a-dia. Nesta emissão, propomos que passe-mos em revista os cuidados que é necessário ter para se instalar na África do Sul. Em primeiro lugar, que diligências devem ser levadas a cabo? Que dificuldades po-dem ser encontradas?

Outra dificuldade, esta muito concreta, é a da obtenção do visto: é extremamente difícil obter-se um visto de trabalho porque a política de discriminação positiva sul-africana visa proteger a mão-de-obra local e, por isso, para se poder obter um visto para um trabalha-dor estrangeiro tem de se provar, de facto, que as suas competências não existem local-mente; trata-se ainda de um trajeto do combatente e é extremamente complicado tanto para as pequenas empresas como para as grandes, mesmo os maiores grupos franceses instalados na África do Sul encontram dificuldades nesta matéria. É por isso que, frequen-temente, alguns franceses se instalam no país por uma questão pessoal, recrutando al-guns colaboradores no local, deixando de ter esse problema, mas, de facto, o visto é uma dificuldade. A essa questão deve acrescentar-se um ambiente um pouco especial em que as questões raciais estão sempre muito presentes.

Para estadias turísticas na África do Sul com uma duração inferior a 90 dias, os titu-lares de um passaporte francês estão isentos de visto prévio. Porém, se exceder 90 dias, recomenda-se vivamente que obtenha um visto junto da embaixada da África do Sul em Paris antes de partir. Além disso, há vários tipos de visto: além da autoriza-ção de negócios dirigida aos investidores, há também o visto para efeito de estudos, assim como a autorização de trabalho que carece de uma proposta de recrutamento prévia. Uma vez concluída esta diligência administrativa, pode usufruir de uma boa qualidade de vida no local:

Sim, dizia que a África do Sul é um país muito moderno; em termos de qualidade de vida não há muitas diferenças relativamente a França, de facto; uma ideia a reter, é um país muito moderno num continente com grande potencial porque até 2050 a população vai duplicar, a dinâmica de mercado existe de momento, em 2050 uma pessoa em seis no mundo é africana, uma pessoa em quatro será africana, por isso, vê-se que a dinâmica reside de facto neste continente e o país mais moderno para servir de plataforma para atacar o mercado africano é claramente a África do Sul.

Além disso, num país moderno e dinâmico, da conjugação do sol, montanha e mar, o dia-a-dia é menos dispendioso que em França. Encontrará restaurantes ou hotéis duas a três vezes mais baratos que no "Hexagone" No entanto, cuidado! Os preços de assinaturas são mais caros, como é o caso dos telefones ou da segurança. E a segurança não deve ser esquecida no seu dia-a-dia:

Além disso, a África do Sul tem um problema grave de segurança permanente onde tudo está segmentado, tudo tem segurança, onde grupos armados têm de proteger cada metro quadrado de uma província. Esse facto torna o país extremamente complicado, mesmo que continue a ser uma das economias mais pujantes do continente.

A palavra de ordem é ficar atento. A seguir, apresentam-se algumas recomenda-ções a seguir:

Se seguirem as regras que a embaixada lhes apresenta quando chegam, as pessoas que o acolhem explicam-lhe o que é necessário fazer, como não sair à noite, evitar de facto caminhar em certas horas da noite, particularmente, no caso das mulheres. 35’03’’-35’24’’: Quando se chega a casa, verifique a retaguarda e feche bem o portão, ligar o alarme; são regras que é necessário cumprir e, se o fizer, não há problema; é quando abrandamos a vigilância que os problemas podem aconte-cer; é algo que causa tensão e que não devemos ocultar.

Alguns bairros de Hillbrow, Berea, Alexandra e Yeoville em Joanesburgo exigem uma certa pru-dência, o velho centro da cidade deve ser evitado à noite ou ao fim de semana. Na Cidade do Cabo, é preciso estar vigilante nos bairros de Woodstock, Observatory e Bokaap. A segurança deixará de ser um problema tão premente no caso de se instalar na capital administrativa, em Pretória, porque a cidade é bastante tranquila. Já terá entendido: se respeitar as regras base de segurança e depois de obter o visto necessário, poderá usufruir das paisagens magníficas da Áfri-ca do Sul.


Conteúdo do vídeo: Quando se fala da África do Sul pensa-se nas célebres urbes da Cidade do Cabo e Joanesburgo. Além disso, pensa-se em Nelson Mandela. Eleito em 1994, foi o pri-meiro presidente negro da África do Sul, atualmente conhecido em todo o mundo por ter lutado contra o apartheid. Desde então, os brancos e os negros caminham para a igualdade, embora esta jovem democracia tenha ainda de realizar progressos para reduzir as desigualdades no dia-a-dia. Nesta emissão, propomos que passe-mos em revista os cuidados que é necessário ter para se instalar na África do Sul. Em primeiro lugar, que diligências devem ser levadas a cabo? Que dificuldades po-dem ser encontradas?

Outra dificuldade, esta muito concreta, é a da obtenção do visto: é extremamente difícil obter-se um visto de trabalho porque a política de discriminação positiva sul-africana visa proteger a mão-de-obra local e, por isso, para se poder obter um visto para um trabalha-dor estrangeiro tem de se provar, de facto, que as suas competências não existem local-mente; trata-se ainda de um trajeto do combatente e é extremamente complicado tanto para as pequenas empresas como para as grandes, mesmo os maiores grupos franceses instalados na África do Sul encontram dificuldades nesta matéria. É por isso que, frequen-temente, alguns franceses se instalam no país por uma questão pessoal, recrutando al-guns colaboradores no local, deixando de ter esse problema, mas, de facto, o visto é uma dificuldade. A essa questão deve acrescentar-se um ambiente um pouco especial em que as questões raciais estão sempre muito presentes.

Para estadias turísticas na África do Sul com uma duração inferior a 90 dias, os titu-lares de um passaporte francês estão isentos de visto prévio. Porém, se exceder 90 dias, recomenda-se vivamente que obtenha um visto junto da embaixada da África do Sul em Paris antes de partir. Além disso, há vários tipos de visto: além da autoriza-ção de negócios dirigida aos investidores, há também o visto para efeito de estudos, assim como a autorização de trabalho que carece de uma proposta de recrutamento prévia. Uma vez concluída esta diligência administrativa, pode usufruir de uma boa qualidade de vida no local:

Sim, dizia que a África do Sul é um país muito moderno; em termos de qualidade de vida não há muitas diferenças relativamente a França, de facto; uma ideia a reter, é um país muito moderno num continente com grande potencial porque até 2050 a população vai duplicar, a dinâmica de mercado existe de momento, em 2050 uma pessoa em seis no mundo é africana, uma pessoa em quatro será africana, por isso, vê-se que a dinâmica reside de facto neste continente e o país mais moderno para servir de plataforma para atacar o mercado africano é claramente a África do Sul.

Além disso, num país moderno e dinâmico, da conjugação do sol, montanha e mar, o dia-a-dia é menos dispendioso que em França. Encontrará restaurantes ou hotéis duas a três vezes mais baratos que no "Hexagone" No entanto, cuidado! Os preços de assinaturas são mais caros, como é o caso dos telefones ou da segurança. E a segurança não deve ser esquecida no seu dia-a-dia:

Além disso, a África do Sul tem um problema grave de segurança permanente onde tudo está segmentado, tudo tem segurança, onde grupos armados têm de proteger cada metro quadrado de uma província. Esse facto torna o país extremamente complicado, mesmo que continue a ser uma das economias mais pujantes do continente.

A palavra de ordem é ficar atento. A seguir, apresentam-se algumas recomenda-ções a seguir:

Se seguirem as regras que a embaixada lhes apresenta quando chegam, as pessoas que o acolhem explicam-lhe o que é necessário fazer, como não sair à noite, evitar de facto caminhar em certas horas da noite, particularmente, no caso das mulheres. 35’03’’-35’24’’: Quando se chega a casa, verifique a retaguarda e feche bem o portão, ligar o alarme; são regras que é necessário cumprir e, se o fizer, não há problema; é quando abrandamos a vigilância que os problemas podem aconte-cer; é algo que causa tensão e que não devemos ocultar.

Alguns bairros de Hillbrow, Berea, Alexandra e Yeoville em Joanesburgo exigem uma certa pru-dência, o velho centro da cidade deve ser evitado à noite ou ao fim de semana. Na Cidade do Cabo, é preciso estar vigilante nos bairros de Woodstock, Observatory e Bokaap. A segurança deixará de ser um problema tão premente no caso de se instalar na capital administrativa, em Pretória, porque a cidade é bastante tranquila. Já terá entendido: se respeitar as regras base de segurança e depois de obter o visto necessário, poderá usufruir das paisagens magníficas da Áfri-ca do Sul.

Palavras-chave relacionadas: vida, África do Sul

Imagem para redes sociais:
 
 
 
 
   

 

Entre em contato 
 A Afrique21.tv não assume nenhuma responsabilidade pelo conteúdo dos anúncios e vídeos divulgados em www.afrique21.tv